Português

Eu, Europeu recuso que os refugiados sejam repelidos em meu nome.

O DIREITO DE ASILO É UM DIREITO

Na expressão « direito de asilo » todas as palavras são importantes. O DIREITO oferece a qualquer pessoa perseguida devido às suas opiniões, ou a sua identidade, ameaçada pela violência, pela guerra, pela miséria, a possibilidade de encontrar ASILO num pais diferente do seu.

O objetivo desta petição é recolher milhões de assinaturas para relembrar aos Estados membros o respeito dos tratados que assinaram.

A declaração universal dos direitos do homem (1948) e a convenção de Genebra (1951) foi elaborada na sequência da 2° guerra mundial que forçou milhões de pessoas a deixar o seu pais. Estes tratados têm por objetivo proteger os individuos confrontados com uèma situação semelhante.

Hoje a tragédia repete-se para todos os que por milhões de novo, procuram refugio numa Europa que o repela em vez de abrir-lhe as suas portas.

– Mais de 4 000 pessoas morreram afogadas no mar Mediterraneo des janeiro 2015

– 10 000 crianças migrantes estão desaparecidas

– encerramento das fronteiras favorece o desenvolvimento das redes mafiosas: a agencia Europol considera que o volume de negocios dos passadores poderia chegar aos 6 mil milhões de euros.

Perante esta situação tragica, os governos da União europeia – com exceção da Alemanha e da Grécia tomam medidas que nos factos, legitimam a ideologia da extrema-direita: o recesso sobre espaço nacional, o medo do estrangeiro, o racismo.

Recusando intaurar uma real politica de acolhimento, agravam a crise humanitaria mundiale tornam-se responsaveis de um desastre humano.

Por toda a Europa, colectivos cidadões tentam remediar aos imcumprimentos dos nossos dirigentes. Em Calais, em Chios e em Lesbos, em Berlim, em Colonha, em Lampedusa, em Londres como em Paris, em Stockolm, voluntarios investem-se concretamente no acolhimento dos refugiados, recolhendo roupas, alimentos, familiarizarem-se com a lingua, as instituições, e as stuturas do pais.

Apoio estas iniciativas, associo-me. Eu quero levar os nossos representantes politicos a tomarem consciência que somos numerosos a querer defender os principios afirmados nos textos fundamentais da Uniao europeia. Numerosos a recusar as exigências dos partidos ultranacionalistas. Numerosos a querer unir-nos para afastar a catastrofe politica e humana que nos promete a sua falta de couragem.

Assino este texto de modo que os nossos governos acolham todas e todos que procuram refugio na Europa.